Alentejo: O que conhecer em 3 dias

Se estiver procurando o que conhecer no Alentejo, tenha em mente que natureza e turismo cultural são pontos fortes desta região de Portugal. Mas, saiba que a cidade de Évora é uma espécie de museu a céu aberto.

Afinal, Évora é uma cidade com monumentos datados de várias épocas, desde a pré-história.

Uma vez que a existência de monumentos Megalíticos, do período neolítico, comprova a existência de assentamentos humanos pré-históricos na região.

Porém, foi durante a Pax Romana que foi elevada a municipium e recebeu seu nome. Vem deste período de dominação, as ruínas do templo e as termas romanas.

Mas o centro histórico de Évora também abriga a enorme a Catedral da Sé que, iniciada no século XII, destaca-se por suas dimensões e seu estilo gótico.

Mas as brancas foram construídas, a partir do século XV, quando a cidade tornou-se residência real. Assim, a maioria das construções possui detalhes de azulejos e varandas em uma mistura de estilos mudéjar, manuelino e renascentista.

Évora foi um dos mais importantes centros culturais e artísticos de Portugal. Por isso serviu de inspiração e modelo na criação de cidades em colônias portuguesas. Inclusive para a brasileira Salvador.

No entanto, o monumento mais marcante e inusitado de Évora data do século XVII: A Capela dos Ossos. Uma capela que é toda ornada com ossos humanos para nos lembrar da finitude da matéria.

O que conhecer no Alentejo – Principais atrações

Atrações em Évora:

  • Muralhas antigas da cidade: Têm traços de vários os períodos históricos de Évora.
  • Aqueduto da Água da Prata: Obra de 1537
  • Palácio dos Duques de Cadaval: Propriedade da família desde o século XIV. Pode-se visitar algumas de suas salas.
  • Templo Romano de Évora: Foi uma homenagem ao imperador Augusto, no século I
  • Catedral da Sé: Construída em estilo gótico no século XII
  • Câmara Municipal: Estruturas arqueológicas de termas romanas, do final do século I. As ruínas estão parcialmente descobertas e pode-se ver a sala circular destinada aos banhos quentes
  • Museu de Évora
  • Largo da Porta de Moura: Chafariz de 1556
  • Praça do Giraldo: Construída no século XVI.
  • Igreja de São Francisco: Em estilo gótico (séc. XIII) e sua Capela dos Ossos (séc. XVII).
  • Jardim público de Évora e o que sobrou do Palácio de Dom Manuel: Antigo Paço Real do século XV.
  • Universidade de Évora: Fundada em 1537
  • Centro Interpretativo Megalithica Ebora: Localizado no Convento dos Remédios. Fornece informações sobre o período megalítico e o período romano.

Atrações para conhecer no Alentejo:

  • Circuito Megalítico de Évora: Só para ilustrar, a Anta Grande do Zambujeiro, o Cromeleque dos Almendres e o Menir dos Almendres são alguns dos monumentos pré-históricos. Muitos deles estão em propriedades privadas.
  • Rota dos Vinhos do Alentejo
  • Balonismo: Na região do Alentejo é possível realizar voos de balão durante quase todo o ano.
  • Castelo de Reguengos de Monsaraz
  • Castelo de Beja

O que conhecer no Alentejo: Uma experiência de 03 dias

Como você já sabe, o Alentejo é uma região. Assim, as atrações ficam em diferentes cidades. Por isso, indicamos que alugue um carro para ter liberdade e autonomia.

Nossa cidade base foi Évora. Desse modo, foi a partir dela que montamos esse microguia indicando o que conhecer no Alentejo.

Dia 01: Cidade Medieval de Évora

Muralha da Cidade Medieval de Évora
Muralha da Cidade Medieval de Évora

Vá para a cidade medieval conhecer os monumentos enquanto caminha pelas ruas de traçado irregular.

Assim, cruze as Muralhas da Cidade e vá para a Praça do Giraldo, que é a praça central da cidade.

Dali, passe pela Câmara Municipal, que guarda as ruínas das termas romanas, e siga caminhando até a Basílica Sé de Nossa Senhora da Assunção. Afinal a basílica, conhecida como Catedral de Évora, é a maior catedral medieval portuguesa.

Após alguns minutos admirando a nave central da catedral, retome seu roteiro. Assim, após passar pelo Museu de Évora, você chegará ao Templo Romano.

Ali ao lado, encontra-se a Igreja de São João Evangelista, com paredes ornadas com murais de azulejos brancos desenhados em azul. Certamente você notará o Palácio Cadaval com sua Torre das Cinco Quinas. Pois saiba que a propriedade pertencente à mesma família desde o século XIV.

Pare no Jardim de Diana para descansar e admirar a cidade do alto do mirante. Em seguida rume para o Arco romano de D. Isabel, uma das portas da antiga muralha romana.

Neste ponto, retorne e pegue o caminho para a Universidade de Évora. No caminho, você passará pelo Paço de São Miguel.

Posteriormente passe pela Casa de Garcia Resende, com sua janela manuelina, e pelo Largo da Porta de Moura. Continue até o Mercado Municipal.

Pois, ali em frente, você verá a Igreja de São Francisco e a inusitada Capela dos Ossos.

Dia 02: Vinícola + Castelo de Monsaraz

Rua até o Castelo de Monsaraz
Rua até o Castelo de Monsaraz

Ponha o carro na estrada para conhecer uma das vilas mais antigas de Portugal. Vá até Reguengos de Monsaraz conhecer o castelo medieval e sua vila.

Localizadas no alto de uma colina, de frente para o Rio Guadiana, as muralhas do castelo de Monsaraz resistem desde o século XIII. Além disso, a vila de Monsaraz possui construções brancas e elementos de influência moura. Portanto difere de cidades de castelos medievais de outras partes da Europa. É uma delícia andar a esmo por suas ruas.

Mas, o Alentejo é uma região famosa pelos vinhos. Por isso faça uma parada estratégica na Vinícola Ervideira. Quer para uma experiência de enoturismo, quer simplesmente para comprar umas garrafas.

Dia 03: Beja

Centro Histórico de Beja
Centro Histórico de Beja

Beja é uma cidade histórica cujo Castelo, uma fortaleza do século XIV, possui uma torre de menagem de 40 metros de altura. A mais alta de Portugal.

Mas, além de visitar o Castelo de Beja, conheça a Igreja da Sé de Beja e o conjunto arquitetônico do Largo do Lidador.

Em seguida, vá para o Museu Regional Rainha D. Leonor. Passe pelas Portas de Mertola e continue admirando o casario até chegar a Praça da República. Pois no centro da praça está situado o Pelourinho de Beja.

O sítio arqueológico de Pisões, está localizado a 10 quilômetros da cidade. Caso você deseje visitar um sítio arqueológico com registros da ocupação romana dos séculos I a.C. ao IV d.C.

Como chegar em Évora, no Alentejo:

    • Avião: O Aeroporto Internacional de Lisboa é o mais próximo.
    • Ônibus: O Terminal Rodoviário de Évora funciona na empresa Rodoviária do Alentejo e liga Évora a outras cidades do país e da Europa. Nós saímos de Sevilha num ônibus da empresa Rede Expressos que nos levou diretamente até o aeroporto de Faro (em Portugal) onde fizemos a retirada do carro alugado.
  • Trem: A Estação de Trem de Évora liga a cidade à Lisboa e outras cidades portuguesas.

Onde se hospedar em Évora:

Nós ficamos na casa de amigos mas existem várias opções de hospedagem.

Booking.com

Informações e Curiosidades

  • Pré-história: a região de Évora é utilizada como assentamento desde a pré-história. Por isso, Évora é considerada Capital do Magalitismo Ibérico.
  • Stonehenge Português: O Cromeleque dos Almendres é o maior recinto megalítico da Península Ibérica. É mais antigo que Stonehenge. Pois enquanto o monumento inglês foi construído há cerca de cinco mil anos, o português existe há cerca de sete mil anos.
  • Menir dos Almendres: O alinhamento dos monumentos coincide com o nascer do sol no Solstício de Verão.
  • Batismo: Durante a dominação romana Évora foi elevada à categoria de município sob o nome de Ebora Liberalitas Júlia. Certamente uma homenagem a Júlio César. Sua importância era devido a grande produção de trigo.
  • Termas Romanas: Descobertas durante as obras da Câmara Municipal de Évora. As termas romanas foram construídas por volta dos séculos II e III. Apresentam três espaços bem definidos:
    • Laconicum: sala circular destinada a banhos quentes e de vapor;
    • Praefurnium: espaço onde ficava a fornalha que servia de aquecimento central das salas;
    • Natatio: piscina retangular ao ar livre, onde convertiam as águas trazidas por um aqueduto próprio.
  • Patrimônio Mundial: O centro histórico de Évora foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO em 1986. Entretanto o epíteto Cidade-Museu é devido à presença de monumentos de várias épocas da história da humanidade.

Reservas Parceiras

Se você gosta de nosso conteúdo, marque-nos como um de seus favoritos e divulgue nossos textos nas redes sociais. Mas, sobretudo, faça suas reservas através de nosso site. Assim, você nos incentiva a continuar produzindo conteúdos de qualidade.