Paris: O que fazer em 5 dias

Há muito o que fazer em Paris além ver a Torre Eiffel. Uma vez que Paris é uma das cidades mais românticas do mundo e foi centro de cultura e arte nos séculos XVIII e XIX.

Afinal, a capital da França conquista com gastronomia, vida cultural, jardins, construções em estilo clássico, art nouveau e art déco.

A cidade é dividida em 20 distritos numerados e dispostos em espiral. No centro da espiral, o distrito em que está o Museu do Louvre.

Os turistas geralmente ficam orbitando junto às áreas mais centrais da espiral. Dessa forma, visitam o museu do Louvre, a Torre Eiffel, passeiam pela av. Champs-Elysées… Mas acabam não aproveitando o que a cidade tem de melhor: os recantos que os moradores frequentam.

Paris possui uma eficiente malha de transporte público que facilita o deslocamento pelos 20 distritos e seus bairros. Por isso, circule pela cidade.

Explore os bairros. Você encontrará atrativos em cada um deles. De museus a compras. Desde os pequenos bistrôs a restaurantes estrelados. Das lojinhas descoladas a grandes nomes da alta-costura. Deixe-se surpreender e releve possíveis mal-humorados ao longo do caminho. Afinal, toda grande cidade os tem.

No fim, quando você enxergar além do encanto dos monumentos preservados, entenderá que, embora Paris ofereça programa para todos, seu charme está nas pequenas coisas do dia a dia: nas feiras de rua, nos cafés e padarias de bairro; no sorvete (ou lanche) numa praça; na happyhour com amigos…

O que fazer em Paris – Principais atrações:

Além de passear pelo Rio Sena (barco e a pé), existem atrações espalhadas pelos 20 distritos da cidade.

1er Arrondissement (1o Distrito):

  • Comédie-Française: Também chamada Théâtre-Français. Fundada em 21 de outubro de 1680.
  • L’église Saint-Eustache (Igreja de Santo Eustáquio): Construída entre 1532 e 1632 em estilo gótico tardio. Restaurada em 1840.
  • Jardin des Tuileries (Jardim das Tulherias): É um dos jardins mais antigos de Paris.
  • Musée de la Mode et du Textile (Museu da Moda e do Têxtil): Mais de 152.000 peças (incluindo trajes, acessórios e tecidos) desde o século III.
  • Musée du Louvre (Museu do Louvre): Uma coleção bem variada com obras importantíssimas. Só para ilustrar, a Mona Lisa (Leonardo da Vinci), a Coroação de Napoleão (Jacques-Louis David), a Liberdade Guiando o Povo (Eugène Delacroix). Bem como as esculturas Vênus de Milo e Vitória Alada de Samotrácia.
  • Palais de Justice (Palácio da Justiça): Ocupa a sede do poder dos reis franceses entre os séculos X e XIV. Aliás, abriga resquícios do Palácio da Cidade como a Conciergerie e a Sainte Chapelle .
  • Sainte-Chapelle (Capela Santa): Capela gótica construída no século XIII.
  • Palais Royal (Palácio Real): Construção do século XVII.
  • Pont Neuf (Ponte Nova): A mais antiga das pontes que cruzam o rio Sena, data do século XVI.
  • Pont des Arts (Ponte das Artes): Também chamada Passerelle des Arts. Ponte de pedestres sobre o rio Sena.
  • Avenue de l’Opéra: Construída no século XIX. Liga o Louvre até o Palais Garnier.
  • Rue de Rivoli: Rua comercial cujas lojas incluem algumas das marcas mais elegantes do mundo.
  • Place Vendôme (Praça Vêndome): Construída no século XVII. Exibe uma coluna de bronze para homenagear uma das vitórias de Napoleão Bonaparte.

2eme Arrondissement (2o Distrito):

  • Théâtre national de l’Opéra-Comique (Teatro Nacional da Ópera Cômica): criada no século XVIII, seu repertório eram paródias operísticas
  • Bibliothèque nationale de France (Biblioteca Nacional da França): Originária da biblioteca real fundada, no século XIV, no Palácio do Louvre
  • Galerie Colbert: Passagem coberta, do século XIX, em estilo art nouveau.
  • Galerie Vivienne: Passagem coberta, do século XIX, em estilo neoclássico.
  • Palais Brongniart (Palácio Brongniart): construído no século XIX, por ordem de Napoleão Bonaparte, para consolidar em um só lugar todas as atividades da bolsa de valores (uma inovação).
  • Euronext Paris (ex Paris Bourse): No prédio que funcionava a Bolsa de Valores de Paris, hoje funciona a Euronext, uma junção das Bolsas de Valores de Paris, Amesterdam, Lisboa e Bruxelas
  • Passage des Panoramas (Passagem dos Panoramas): Mais antiga das passagens cobertas de Paris e um dos primeiros locais de comércio filatélico na cidade.

3eme Arrondissement (3o Distrito):

Também conhecido como Haut-Marais (Alto Marais)

  • Musée des Archives Nationales (Museu dos Arquivos Nacionais): criado por Napoleão Bonaparte para guardar toda a documentação oficial da França ocupa alguns palacetes contíguos (Hôtel de Soubise, Hôtel de Rohan, Hôtel Breteuil, Hôtel d’Assy, Hôtel de Clisson) cujos jardins são abertos ao público.
  • Église Saint-Nicolas-des-Champs (Igreja Saint-Nicolas-des-Champs): A construção em estilo gótico foi iniciada no século XV (só sendo concluída no século XVIII) e restaurada no século XIX.
  • Musée des Arts et Métiers (Museu de Artes e Ofícios): Acervo conta a história da ciência
  • Église Sainte-Élisabeth-de-Hongrie (Igreja Santa Élisabeth da Hungria): Construída no local da primeira capela do mosteiro das freiras da Terceira Ordem de São Francisco (1646 a 1792).
  • Musée Picasso (Museu Picasso): situado no Hôtel Salé (um palacete do século XVII) o museu possui obras menos conhecidas do pintor
  • Synagogue de Nazareth (Sinagoga Nazareth): datada do século XIX, em estilo neo-islâmico, é a mais antiga das ‘grandes’ sinagogas de Paris.
  • Musée Carnavalet (Museu Carnavalet): Acervo história da capital francesa desde suas origens
  • Marché des Enfants-Rouges: O mercado coberto mais antigo da cidade foi criado no século VII com o nome de “Petit Marché du Marais” (Pequeno Mercado do Marais). Possui bancas de hortifrutigranjeiros e de alimentos preparados.
  • Musée d’Art et d’Histoire du Judaïsme (Museu de Arte e da História do Judaísmo): história e cultura judaica desde a Idade Média

4eme Arrondissement (4o Distrito):

Inclui a parte do Marais que foi habitado pela nobreza até finais do século XIX, quando iniciou-se a presença da comunidade judaica.

  • Cathédrale Notre-Dame de Paris (Catedral de Nossa Senhora de Paris): Em estilo gótico, sua construção iniciou-se no século XII.
  •  Église Saint-Paul-Saint-Louis: Construção do século XVII.
  • Église Saint-Merri: Construção gótica do século XVI.
  • Cloître et Église des Billettes (Claustro e Igreja des Billettes): A Église des Billettes é uma construção do século XIII. Enquanto que o Claustro, do século XV, é o único claustro medieval remanescente em Paris. Porém, desde o século XIX o conjunto pertence a Igreja Luterana.
  • Synagogue de la rue des Tournelles (Sinagoga da rua des Tournelles): construção do século XIX em estilo romano-bizantino. Os portões de ferro que protegem a Arca Sagrada foram projetados por Gustave Eiffel.
  • Place des Vosges: Praça planejada mais antiga de Paris. O escritor Victor Hugo morou no n. 6.
  • Temple du Marais: Construção do século XVII que desde o século XIX pertence a Igreja Protestante.
  • Tour Saint-Jacques (torre Saint-Jacques): O campanário em estilo gótico é o único vestígio da igreja dedicada à Santiago Maior.
  • Place de la Bastille (Praça da Bastilha): Local da prisão Bastilha de Saint-Antoine que, tomada em 14 de julho de 1789, é considerada um dos fatores que iníciaram a Revolução Francesa. No centro da praça, a Colonne de Juillet (Coluna de Julho) guarda sepulturas de heróis revolucionários.
  • Centre Georges Pompidou (Centro Georges Pompidou): Museu de arte contemporânea.
  • L’Enceinte de Philippe Auguste (Muralha de Philippe Auguste): Vestígios da mais antiga muralha de Paris. A parte preservada mais longa está na esquina da rue Charlemagne com a rue des Jardins-Saint-Paul.
  • Mémorial de la Shoah: Museu do Holocausto em Paris

5eme Arrondissement (5o Distrito) – o Quartier Latin

A região tem este nome porque, na Idade Média, abrigava instituições de ensino que ministravam as aulas em latim. Assim, ainda hoje, o Quartier Latin abriga muitas livrarias e a Universidade Sorbonne.

  • Musée National d’Histoire Naturelle (Museu Nacional de História Natural): criado no século XVIII
  • Jardin des Plantes (Jardim das Plantas): originalmente criado como o Jardim do Rei, com plantas medicinais, foi aberto ao público no século XVII. Atualmente é o Jardim Botânico de Paris.
  • Place du Panthéon (Praça do Panteão): A imensa construção do Panteão abriga os restos mortais de personalidades notáveis, como Voltaire e Marie Curie
  • Sorbonne: Universidade pública

6eme Arrondissement (6o Distrito):

  • Palais du Luxembourg (Palácio de Luxemburgo): Construção do século XVII abriga a sede do Senado da França
  • Jardin du Luxembourg (Jardim de Luxemburgo): Jardim do século XVII
  • Église Saint-Sulpice (Igreja de São Sulpício): Segunda igreja mais alta da cidade, abriga um gnômon (sistema de determinação astronômica dos equinócios)
  • Théâtre de l’Odéon (Teatro Nacional do Odéon): Construção do século XVIII
  • Pont Neuf (Ponte Nova): Construção do século XVI
  • Pont des Arts (Ponte das Artes): Ponte de pedestres que leva ao Louvre
  • Área de Saint-Germain-des-Prés: Abriga diversas livrarias, lojas de antiguidades, galerias de arte e a igreja mais antiga de Paris, a Abadia de Saint-Germain-des-Prés, datada do século VI
  • Boulevard Saint-Germain: foi a parte mais importante da renovação de Paris ralizada no século XIX. Abriga os cafés Les Deux Magots e Café de Flore, que eram os favoritos de escritores como Hemingway e Camus.

7eme Arrondissement (7o Distrito):

  • Musée d’Orsay (Museu d’Orsay): Abriga uma coleção composta de obras impressionistas.
  • Tour Eiffel (Torre Eiffel): Foi erguida por Gustave Eiffel para a exposição Universal de 1889. Porém nunca foi desmontada.
  • Champ de Mars (Campo de Marte): Uma das maiores áreas verdes da cidade
  • Hôtel des Invalides (Palácio dos Inválidos): Construção do século XVII que abrigava os inválidos dos exércitos. Sua necrópole militar abriga o túmulo de Napoleão. O palácio é sede do Museu de Arsenais Les Invalides.
  • Palais Bourbon (Palácio Bourbon): construção do século XVIII abriga a Assembleia Nacional Francesa
  • Musée Rodin (Museu Rodin): A construção do século XVIII abriga a maioria das criações de Auguste Rodin. Só para ilustrar, dentre elas estão as esculturas O Pensador, O Beijo e Os Portões do Inferno.

8eme Arrondissement (8o Distrito):

  • Arc de Triomphe (Arco do Triunfo): Construção do século XVIII em comemoração às vitórias militares do Napoleão Bonaparte.
  • Place Charles de Gaulle (Place Charles de Gaulle): Ponto inicial da Champs Elysées
  • Av. des Champs-Elysées: A avenida mais famosa de Paris. É delimitada pela Place de la Concorde e pela Praça Charles de Gaulle, onde está o Arco do Triunfo.
  • Place de la Concorde (Praça da Concórdia): Segunda maior praça da França. Durante a Revolução Francesa, ali ficava a guilhotina. Os dois obeliscos foram doados pelo Egito.
  • Église de la Madeleine (Igreja Madeleine): Construção em estilo clássico grego.
  • Grand Palais: Construído para a Exposição Universal de 1900.

9eme Arrondissement (9o Distrito):

  • Ópera Palais Garnier: datada do século XIX, possui telhado abobadado e estilo neobarroco.
  • Boulevard Haussman: Avenida construída por Georges-Eugène Haussmann, durante a modernização urbanística de Paris. Ao longo da avenida estão grandes lojas de departamento como Printemps e Galleries Lafayette.
  • Rue Saint-Honoré e Rue du Faubourg-Saint-Honoré: Endereços das marcas internacionais e boutiques.

10eme Arrondissement (10o Distrito):

  • Canal Saint-Martin: Passeio em barco ou a pé para admirar a paisagem com eclusas e pontes.
  • Passage Brady: Datada do século XIX essa passagem coberta abriga restaurantes indianos e paquistaneses.
  • Place de la République (Praça da República): Foi construída onde havia, desde o século 12, uma porta de saída da cidade de Paris.
  • Marché Saint-Martin (Mercado Saint-Martin): Mercado com estandes de comida gourmet

11eme Arrondissement (11o Distrito):

  • Ópera da Bastilha: A construção do século XX é a sede oficial da Ópera Nacional de Paris.

12eme Arrondissement (12o Distrito):

  • Bercy Village: Os antigos galpões de estocagem de vinho foram transformados em lojas e restaurantes que ficam à margem do Parc de Bercy cujos 14 hectares são divididos em 3 jardins: Jardin Romantique, Jardin Parterres e Les Praires.

13eme Arrondissement (13o Distrito):

  • Manufacture des Gobelins (Manufatura dos Gobelins): Fábrica de tapeçaria que foi arrendada ao Rei Henrique IV, no século XVII. Porém, durante o governo de Napoleão no século XIX, a Manufatura dos Gobelins criava tapeçarias com temas da história da França, particularmente da Revolução, para decorar os palácios imperiais.
  • Bibliothèque Nationale François Mitterrand (Biblioteca Nacional François Mitterrand): A principal biblioteca da França fica dentro de torres em formato de livro.
  • Chinatown (Área Asiática): área com mercearias asiáticas e uma mistura de restaurantes chineses e vietnamitas.
  • Butte-aux-Caille: Um pedacinho da cidade que conseguiu manter a atmosfera de vila contendo, inclusive, uma fonte de água pública em sua praça principal.

14eme Arrondissement (14o Distrito):

Abrange Montparnasse, uma área repleta de bistrôs históricos.

  • Cimetiere Montparnasse (Cemitério de Montparnasse): Última morada de Sartre e alguns intelectuais.
  • Túneis subterrâneos e as Catacumbas de Paris
  • Fondation Henri Cartier-Bresson: arte contemporânea

15eme Arrondissement (15o Distrito):

  • Tour Montparnasse (Torre Montparnasse): No alto do prédio existe um mirante
  • Musée Pasteur (Museu Pasteur): Museu dedicado ao cientista Louis Pasteur.
  • Marché du Livre Ancien et d’Occasion (Mercado de Livro Antigo e Usado)

16eme Arrondissement (16o Distrito):

  • Trocadéro: No Palácio de Chaillot, construído em 1937, foi assinada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948. A praça do Trocadero é um ótimo local para tirar fotos da Torre Eiffel.
  • Maison de Balzac: museu na antiga casa do romancista Honoré de Balzac
  • Estádio de Futebol e Sede do Paris Saint-Germain – PSG
  • Bois de Boulogne (Bosque de Bolonha): Parque criado no século XIX é uma das maiores áreas verdes de Paris e engloba o parque Bagatelle, o jardim Acclimatation e o jardim Serres d’Auteuil.

17eme Arrondissement (17o Distrito):

  • Musée National Jean-Jacques Henner (Muséu Nacional Jean-Jacques Henner): Acervo de fotografias do século 19

18eme Arrondissement (18o Distrito):

Fica em torno da colina de Montmartre, um antigo reduto de artistas por onde já passaram Picasso e Dali

  • Basilique du Sacré-Cœur (Basílica do Sagrado Coração): Localizada no ponto mais alto da cidade, foi construída com mármore travertino que proporciona a tonalidade branca.
  • Cabaré Moulin Rouge (Cabaré Moinho Vermelho): Construído no século XIX, o cabaré ainda oferece espetáculos que evocam o ambiente boêmio da Belle Époque.

19eme Arrondissement (19o Distrito):

  • Canal de l’Ourcq: Possui um mercado de alimentos especial. Porque no Marché sur l’eau os produtores da região de Meaux trazem seus produtos navegando pelo rio.
  • Parc de la Villette (Parque de la Villette): O parque abriga vários espaços culturais como o museu Cité des Sciences et de l’Industrie (sobre o desenvolvimento da ciência e da tecnologia) e a Cité de la Musique (salas de concertos e um Museu da Música)
  • Parc des Buttes-Chaumont (Parque de Buttes-Chaumont): Com projeto do século XIX, inclui quedas d’água, lago, ponte…

20eme Arrondissement (20o Distrito):

  • Cimetière du Père-Lachaise (Cemitério Père Lachaise): No maior cemitério da cidade estão enterrados artistas, escritores e músicos como Oscar Wilde e Jim Morrison.

O que fazer em Paris: Uma experiência de 05 dias

Dia 01: 1eme Arrondissement (1o Distrito) e 8eme Arrondissement (8o Distrito)

Musée du Louvre
Musée du Louvre

Se essa é sua primeira vez em Paris, você deve se encantar com a cidade. Por isso vá para a área mais turística de Paris fazer o roteiro mais turístico possível.

Ao sair do metrô vá para a frente do Museu do Louvre. Assim você poderá ver a impactante mistura do classicismo renascentista com a arquitetura moderna da pirâmide de vidro.

O museu é enorme possui um acervo gigantesco por isso, esse dia é dedicado a ele. Mas, esteja ciente de que é impossível ver tudo com calma e atenção em um só dia. Assim, direcione sua visita às áreas de seu interesse.

Na saída, passeie pelo Jardin des Tuleries. Posto que o mesmo foi jardim real de um palácio que não mais existe. Aproveite para observar algumas esculturas.

Posteriormente, atravesse a Place de la Concorde e siga passeando pela Champs Elysées até chegar ao Arc du Triumph.

Dia 02: 7eme Arrondissement (7o Distrito), Passeio de Barco no Sena e 13eme Arrondissement (13o Distrito)

Rua em Butte-aux-Caille, Paris
Rua em Butte-aux-Caille

Já tendo feito o mais turístico dos roteiros, faça um programa mesclando terra e água.

Por isso, já munido do seu ingresso, vá para a Torre Eiffel (mais um ícone da cidade).

Em seguida, caminhe pelo Champs de Mars na direção do Hôtel des Invalides, um prédio com uma enorme cúpula dourada, cuja construção foi ordenada por Luís XIV e onde encontra-se o túmulo de Napoleão Bonaparte.

Continue passeando até o Musée Rodin. O museu inaugurado em inícios do século XX, que fica no palacete onde o escultor alugava algumas salas para utilizar como oficina.

As obras ficam espalhadas nos mais diversos ambientes, inclusive nos jardins. Aprecie obras de Rodin e de Camille Claudel (a escultora foi assistente de Rodin) com calma.

Saindo do museu, rume em direção ao rio Sena para fazer um passeio de barco e ver a cidade de outro ângulo.

Ao entardecer, explore a área de Butte-Aux-Cailles.

Dia 03: 4eme Arrondissement (4o Distrito), 6eme Arrondissement (6o Distrito) e 12eme Arrondissement (12o Distrito)

Catedral de Notre Dame de Paris
Catedral de Notre Dame

Comece seu dia na calma do Jardin de Luxembourg apreciando os jardins e suas estátuas.

Em seguida, passe pela Église Saint-Sulpice para ver o gnômon citado por Dan Brown em seu livro O Código Da Vinci.

Siga para o Boulevard Saint-Germain e faça uma pausa para um café no histórico Café Les Deux-Magots.

Continuando, passe pela bela Fontaine Saint-Michel e direcione-se para o Rio Sena pois sua próxima parada será na gótica Cathédrale Notre-Dame com sua fachada cheia de detalhes e vitrais lindíssimos.

Saindo da Catedral, atravesse para a pequena Île Saint-Louis. Aproveite para se refrescar na tradicional sorveteria Berthillon.

Já refeito, siga para a histórica Place de la Bastille com a Colonne de Juillet. Depois, vá para a Place des Vosges.

Descanse na praça admirando o conjunto arquitetônico ao seu redor. Se acaso desejar, visite o museu na casa que pertenceu ao escritor Victor Hugo.

Deixando a praça para trás, passe pelo Museu Carnavalet e caminhe a esmo pelo Marais. Mas, quando a fome começar a apertar, vá em direção à Rue des Rosiers para comer um fallafel (bolinho de grão de bico) no l’As du Fallafel.

No fim da tarde faça uma happy hour em Bercy Village. Pois os pequenos galpões de vinho do século XIX, foram transformados em lojas e restaurantes.

Dia 04: 1er Arrondissement (1o Distrito) e 9eme Arrondissement (9o Distrito)

Dia de bater perna pelo comércio.

Comece o dia pela Place Vendôme. Mas seu objetivo não será unicamente a histórica coluna de bronze para homenagear uma das vitórias de Napoleão Bonaparte. Uma vez que seu interesse estará, também, no comércio de luxo que rodeia a praça com várias joalherias famosas.

Em seguida, caminhe pela Rue Saint-Honoré, a rua da moda, com lojas de grandes marcas e boutiques.

Se desejar, faça um desvio para conhecer a Église de la Madeleine com sua arquitetura em estilo clássico grego. Caso contrário, apenas siga pelo roteiro profano. Portanto, continue pela Rue du Fauborg-Saint-Honoré lotada de lojas de marcas internacionais como Hermès, Missoni, Dolce & Gabbana, Christian Louboutin…

Vire no Boulevard Haussmann, uma avenida construída no século XIX durante a modernização urbanística de Paris. Pois dessa maneira você pderá visitar a Galleries Lafayette (com sua cúpula de vidro do início do século XX) e, também, a Ópera Palais-Garnier.

Dia 05: Dia Livre

Visite o Musée D’orsay. Pois inegavelmente o museu vale uma visita por abrigar importantes obras de artistas impressionistas. Mas também por ocupar a estrutura de uma antiga estação ferroviária.

Mas se você desejar aproveitar seu último dia em Paris sem compromissos turísticos e culturais, vá para Saint-Germain-des-Prés.

Assim, nesta área do 6eme Arrondissement (6o Distrito), permita-se andar a esmo apreciando as livrarias, lojas de antiguidades e galerias de arte.

Posteriormente, simplesmente caminhe pela beira do Sena observando as bancas dos bouquinistes, os tradicionais vendedores de livros usados.

Como chegar em Paris

Nossa experiência é fruto de 2 passagens por Paris. Ambas as vezes chegamos através do Aeroporto Charles de Gaulle: A primeira vez, vindos de Roma e na segunda, vindos do Brasil.

  • Avião: A cidade conta com 2 aeroportos que recebem voos internacionais (preste atenção ao adquirir as passagens aéreas)
    • Paris-Charles de Gaulle: É o aeroporto principal, embora mais distante do centro de Paris
    • Paris-Orly: mais próximo do centro. Foi o aeroporto utilizado quando voamos com a AIR FRANCE para Nice, na Côte d’Azur.
  • Trem: Várias estações ferroviárias que fazem conexão com cidades francesas e de outros países.

Transfer Aeroporto – Centro

  • Aeroporto Charles de Gaulle:
    • Ônibus: A OuiBus oferece serviço ligando o Terminal 2 do aeroporto até Paris – Porte Maillot. O trajeto dura em torno de 30 minutos. Informações no site BlaBlaBus
    • Trem: Da Estação Aeroport Charles De Gaulle no Terminal 2 até Chatelet Les Halles. O trajeto dura em torno de 40 minutos. Informações no site RATP
  • Aeroporto de Orly:
    • Ônibus: A ParisOrly Bus oferece serviço ligando o Terminal 4 do aeroporto até Paris – Denfert-Rochereau. Informações podem ser adquiridas no site da RATP
    • Tram + Metro: No aeroporto pegar Tram T7 até Villejuif-Louis Aragon de onde pega-se a linha 7 do metrô até a estação Châtelet. Informações podem ser adquiridas no site da RATP

Nas vezes que visitamos Paris, contratamos o serviço de motorista para nos conduzir do aeroporto ao hotel.

Transitando pela Cidade

O visitante pode adquirir o Ticket t+ (individual ou carnet com 10 passagens), o Passe Navigo Decouverte ou o cartão Paris Visite nas estações de Metrô e estações de RER. Mais Informações podem ser obtidas no site da RATP

Onde se hospedar

Nós gostamos de ficar no 13éme Arrondissement, por vários motivos:

  1. É uma região menos turística. O que gera restaurantes com melhor atendimento e preços mais justos.
  2. A poucos passos da Av. d’Itallie, está Butte-aux-Cailles um local onde a cidade guarda uma “atmosfera interiorana” com ruas com calçamento em pedras, casas charmosas, restaurantes e padarias de bairro.
  3. Do outro lado do rio Sena, no 12éme, está Bercy Village, um complexo de comércio e lazer. Uma área onde no século XIX os tonéis de vinho eram recebidos em Paris .

Assim, escolhemos o hotel ibis Avenue d’Italie. Posto que fica perto de estações de metrô e de um centro comercial.

Booking.com

Informações e dicas de Paris:

  • Museu do Louvre: Maior museu de arte do mundo. Seu acervo possui aproximadamente 38.000 objetos, da pré-história ao século XXI. Informações no site: Musee du Louvre
  • Pirâmide do Louvre: A pirâmide de vidro no pátio do Louvre tem as mesmas proporções da pirâmide de Quéops
  • Jardim de Luxemburgo: Pertencia ao castelo construído por Marie de Médicis, nos anos 1620.
  • Place d Étoile: Praça em que situa-se o Arco do Triunfo, uma vez que doze avenidas convergem para a praça formando uma estrela (etoile, em francês).
  • Bouquiniste: O termo aparece no dicionário da Académie Française de 1789. Porém, apenas em 1859, as concessões para os bouquinistes foram implementadas pela cidade de Paris. Por consequência, eles foram estabelecidos em pontos fixos.
  • Marché des Enfants-Rouges (Mercado das crianças em vermelho): Uma referência ao “Hospice des Enfants-Rouges” localizado nas proximidades. Pois os órfãos eram vestidos com roupas vermelhas (a cor da caridade)
  • Torre Eiffel: Tem 342 metros de altura, pesa 10.100 toneladas. Tem 704 degraus até o segundo andar.
  • Chinatown: Na área asiática do 13eme a lanchonete McDonald’s possui estilo arquitetônico de Pagode na cor verde. Veja no site McDonalds – Avenue de Choisy
  • Butte-aux-Caille: Em 1783 foi local do pouso do primeiro voo em balão realizado por Jean-François Pilâtre de Rozier e François Laurent d’Arlandes.
  • Bois de Bologne: Palco de experiências realizadas por Alberto Santos Dumont que culminaram com o voo do 14-Bis em 1906.

Reservas Parceiras:

Se você gosta de nosso conteúdo, marque-nos como um de seus favoritos e divulgue nossos textos nas redes sociais. Mas, sobretudo, faça suas reservas através de nosso site. Assim, você nos incentiva a continuar produzindo conteúdos de qualidade.